Aromaterapia   |   04/02/2021   |   212 visualizações

Hoje vamos conversar sobre mais duas formas de uso dos óleos essenciais: o banho de imersão e o escalda-pés, duas formas incríveis de aumentar nosso bem-estar e ter contato com óleos essenciais.

Banho de Imersão

O banho de imersão é o famoso banho de banheira! Eu sei que a maioria de nós não tem uma banheira em casa (eu inclusive), mas quando tivermos oportunidade de desfrutar desse ritual de bem estar, não pensemos duas vezes!

Para o banho de imersão, criar um ambiente aconchegante é fundamental. Assim, a questão da luminosidade, o som ambiente e a temperatura (não deixar correntes de ar frio passarem) devem ser levados em conta.

E como escolher o óleo essencial a ser utilizado? Isso vai depender do propósito que queremos alcançar, então pesquise as propriedades terapêuticas de cada óleo e escolha de acordo com o seu momento.

Após escolher o óleo essencial da vez, chegou a hora de encontrar a quantidade correta a ser utilizada! Para uma banheira com capacidade entre 150L e 200L de água, 10 gotas de óleo essencial são suficientes. 

Como a gente já sabe, os óleos essenciais não são solúveis em água, assim precisamos, primeiro, diluí-los em cerca de 15 ml de óleo vegetal e em seguida, misturar com cerca de 40 ml de leite integral (ou algum leite vegetal, caso você seja vegana).

É mais legal a gente colocar essa mistura na banheira, aos poucos, quando já estamos dentro, assim o aroma do óleo essencial escolhido vai aguçando o nosso olfato e com as mão podemos ir incorporando a mistura na água.

O ideal é que o banho dure cerca de 20 minutos e depois a gente possa repousar por mais 15 minutos, para sentir os efeitos do ritual de forma mais presente. Eu, particularmente, amo essas pausas após esses rituais (seja um banho de imersão, uma massagem…).

Muita gente pergunta se não é possível utilizar óleos essenciais no banho de chuveiro. Há pessoas que pingam uma gotinha de óleo essencial no box, assim com o vapor da água quente há a volatização do aroma. Eu, particularmente, não utilizo essa técnica, pois acredito que há outras formas de contato com os óleos essenciais. Em banhos de chuveiro, prefiro fazer um ritual com ervas. Mas isso é muito particular para cada pessoa. Então, se você sentir de usar óleos essenciais no chuveiro, e souber fazê-lo com segurança, não há problema algum.

Escalda-pés

Já o escalda-pés é muito mais democrático. Qualquer pessoa pode fazê-lo em casa. Esse hábito ficou bastante tempo esquecido, mas é uma sabedoria ancestral que vale a pena retomar. 

Além de ser muito relaxante, o escalda-pés é indicado para dores, micoses, inchaços e problemas de circulação. Já no campo espiritual, traz purificação e conexão, não é à toa que é um ritual milenar. 

Assim como no banho de imersão, é muito legal criar um ambiente aconchegante para fazer seu escalda-pés.  O ideal é utilizar uma bacia que caiba pelo menos 4 litros de água quente. Para essa quantidade de água, cerca de 8 gotas de óleo essencial são suficientes, que podem ser misturadas no óleo vegetal e leite (como o banho de imersão) ou em 50g de sal grosso. É só acrescentar a mistura escolhida na água e ser feliz! O tempo de duração de um escalda-pé varia entre 15 e 20 minutos, depois disso a água já começa a esfriar demais.

Depois de tirar os pés da bacia, é só secá-los com uma toalha macia e evitar pisar descalça no chão. Coloque uma meia bem gostosa e curta o aconchego e o relaxamento.

Eu gosto muito de fazer escalda-pés quando estou me sentindo muito cansada e sem energia, ou quando andei bastante e minhas pernas dão sinais de que exagerei. É sempre um momento muito gostoso de pausa.

E vocês? Já fizeram escalda-pés? Ou um banho de imersão? Se ainda não experimentaram nenhum desses dois rituais, aconselho a fazê-los assim que possível!

Comentários