Bem Estar   |   16/11/2017   |   1.51 Mil visualizações

A preocupação com a beleza é antiga, remonta a tempos milenares e de pronto nos trás à lembrança a tão festejada beleza da rainha egípcia Cleópatra.

A mesma é retratada em bustos ornados com jóias e com maquiagem impecável, sempre com olhos bem demarcados e lábios carnudos expressivos e contornados com cores vibrantes.

O uso da cosmética para evidenciar a beleza feminina é uma solução utilizada pelas mulheres como recurso de sedução, boa aparência e feminilidade.

No mundo moderno, muitos são os produtos disponíveis que prometem verdadeiras “mágicas”, no sentido de evidenciar a beleza natural, ou mesmo criando truques que farão as menos agraciadas, superarem as “imperfeições” de marcas nas peles, por exemplo, tornando as mulheres como verdadeiras deusas.

No afã da busca pela perfeição deixamos de perceber, ou até mesmo de nos interessarmos pela composição dos produtos cosméticos que utilizamos. Na verdade, ninguém se preocupa em saber como foi feito, de que foi feito, a preocupação é somente com o resultado obtido. Interessante este ponto, não é mesmo?

Tudo tem um preço e a vaidade também paga o seu próprio débito – quando não se faz bom uso de alguns produtos.

A manipulação cosmética, não traz em seu bojo nenhuma “mágica”. Para que os resultados prometidos sejam compensadores, escondem muitas vezes em seus formulados, produtos perigosos e nocivos à saúde para todos a quem os utiliza. Sabia disso?

A cosmética moderna e seus alardeados “milagres”

Com a promessa de plásticas naturais, comercializam-se no mercado desde cremes até pílulas rejuvenescedoras que prometem acabar com rugas, flacidez, estrias, celulites e outros vilões da beleza feminina como em um passe de mágica.

No Brasil, o órgão regulador da saúde é a ANVISA, o que nos leva a crer que todos os produtos para serem comercializados deverão passar pelo crivo fiscalizador da mesma o que de fato acontece com extrema severidade.

O fato de ser autorizada a produção e comercialização de determinado cosmético, não garante que o mesmo esteja livre de ser prejudicial, pois nem sempre o que está na formulação agirá para o bem.

No Brasil as famosas cápsulas de beleza, recebem o nome de suplementos alimentares não estando diretamente ligados à cosmetologia, o que muitas vezes serve para mascarar produtos ruins.

Mas o que é utilizado na fabricação dos produtos de beleza?

Os cosméticos, que habitualmente vemos nas gôndolas de farmácias, mercados e catálogos de marcas famosas, sendo comercializados como inocentes perpetuadores e melhoradores da beleza, em sua maioria possuem substâncias cancerígenas de alta toxicidade.

Os componentes usualmente utilizados na formulação dos cremes e outros agentes de beleza são:

  • Formaldeídos
  • Parabenos
  • Alumínio
  • Ftalatos
  • Triclosan
  • Tolueno

Onde posso encontrar essas substâncias nocivas?

Diariamente utilizamos em nossa pele pelo menos 3 tipos de cosméticos em cuja formulação foram utilizadas substâncias químicas danosas. Para melhor entendimento listamos abaixo algumas das substâncias mais comuns e os cosméticos onde são utilizadas:

  • Conservantes (na maioria das formulações cosméticas, cremes, desodorantes, loções).
  • Antissépticos e bactericidas (desodorantes líquidos ou em barras, sabonetes líquidos, emulsões, shampoos, produtos para barbear, pastas de dente, enxaguantes bucais, cotonetes).
  • Adstringentes e antiperspirantes (desodorantes).
  • Emulsionantes (óleos de banho, cremes, maquiagem, sabonete e perfumes).
  • Tensoativos (shampoo, tintura de cabelo, creme de barbear).

Potenciais riscos à saúde
Substâncias nocivas presentes nos cosméticos

Podemos listar uma série de sintomas relacionados às substâncias nocivas presentes nos cosméticos, onde as mais comuns são:

  • Dermatites,
  • Crises de asmas,
  • Rinites,
  • Alergias,
  • Até doenças mais complexas e letais como cânceres diversos e Mal de Alzheimer.

Uma das mais discutidas substâncias químicas da atualidade devido seu alto grau de toxicidade é o Triclosan. Essa substância é tão nociva e que durante a amamentação a mãe o transfere ao filho. Em exposição à luz solar desenvolve outra substância cancerígena de nome diclorodibenzeno-p-dioxina.

Quais doenças posso desenvolver ao usar cosméticos com substâncias tóxicas?
Substâncias nocivas presentes nos cosméticos

Formaldeídos e liberadores de formaldeídos

Conhecidos do público pelo popular nome de formol, utilizado nos produtos endurecedores de unhas além de outros, na utilização doméstica é responsável por aumentar o risco à asma, bronquites, alergias e comprometimento respiratório. Em altas concentrações é carcinogênica, portanto passível de causar cânceres.

Parabenos

Tem como nome científico, entre outros o de metilparabeno (Nipagin), propilparabeno (Nipazol). Utilizado em diversos cosméticos tem como reação adversa, devido a sua íntima relação com os receptores de estrógeno, câncer de mama, puberdade precoce, inflamações dérmicas. Sujeito à alta exposição solar potencializa os raios UV gerando danos à pele.

Alumínio

Conhecido como cloreto de alumínio ou tricloreto de alumínio, é comumente usado em desodorantes e antiperspirantes. Já se cogita na comunidade científica a associação do mesmo ao Mal de Alzheimer. A contaminação por alumínio tem como conseqüência a anemia. Mulheres em tratamento de osteopenia e osteoporose devem evitar cosméticos com essa substância.

Ftalatos

Essas substâncias são utilizadas na cosmetologia para dar brilho aos esmaltes e fixar as fragrâncias dos perfumes e ainda liquidez e cremosidade aos demais produtos. Em português levam o nome de butila, benzila. Entre seus efeitos nocivos citamos a diminuição da fertilidade masculina, câncer de mama e efeitos desregulatórios sobre os hormônios.

Triclosan

Usado para reduzir a contaminação por bactérias, está presente nos sabonetes bactericidas, comumente consumidos por bebês, cremes dentais e enxaguantes bucais.  O Triclosan está associado à bactéria Staphylococcus aureus que comumente provoca endocardite, foliculite, osteomielite, gastroenterite estafilocócica (vômitos, diarréia, dores abdominais).

Tolueno

Também conhecido por cola de sapateiro. Na cosmética está associado aos esmaltes. Pode provocar irritação nos olhos e gargantas. Em altas doses pode levar à dependência química tontura, cefaléia e confusão.

Estatísticas relacionadas à nocividade das substâncias usadas nos cosméticos.

Estudos nos mostram que pelo menos 20% da população do mundo sofrem de algum tipo de alergia; relacionados ao uso dos cosméticos, temos: pruridos, queimação, ressecamento, urticárias e acnes. A dermatite é desencadeada pelas fragrâncias, tensoativos e conservantes.

Os cosméticos utilizados nos cuidados da pele, principalmente do rosto são altamente nocivos para os pacientes que apresentam algum tipo de sensibilidade e são responsáveis pela maior parte das reações negativas. Os conservantes presentes em sua composição são os fatores de toxicidade.

O uso de produtos orgânicos e naturais é uma alternativa para evitar o uso de cosméticos formulados com substâncias tóxicas. Hoje vimos cosméticos naturais e orgânicos com qualidades superiores a marca famosas !

Pense nisso e comece a mudar sua vida!

#useorganico

Comentários

Não tóxico

Não testado
em animais

Livre de
parabenos

Vegano

Gluten-Free