Saúde   |   13/04/2018   |   663 visualizações

A televisão faz parte da maioria dos lares brasileiros. É comum que esse equipamento permaneça ligado durante várias horas no dia. Isso inclui em momentos de refeição, horário em que as crianças fazem as tarefas de escola e etc.

Porém, estudos recentes revelaram que a televisão ligada ao fundo pode ser um veneno ao desenvolvimento das crianças. A extensa exposição ao equipamento e sem fiscalização é capaz de causar déficit de atenção, problemas de concentração, dificuldades no aprendizado, entre outros problemas.

Para piorar as consequências permanecem a longo prazo nas crianças, chegando até a atingir a adolescência e a vida adulta.

Veja neste post os riscos da TV para seu filho e veja por que limitar a utilização de equipamentos eletrônicos na infância. Confira!

Problemas causados no desenvolvimento das crianças
Televisão ligada ao fundo pode prejudicar o desenvolvimento das crianças, apontam especialistas!

Vários estudos científicos tentam comprovar os malefícios da TV durante a infância e seus impactos na adolescência e até mesmo na vida adulta.

Entre as pesquisas mais famosas estão a do Professor Matthew Lapierre, da Universidade da Carolina do Norte (EUA), e de Bob Hancox, diretor de um estudo sobre o tema na Universidade de Otago na Nova Zelândia.

Os dois levantamentos trouxeram pontos em comum sobre os perigos da TV no desenvolvimento das crianças, mesmo quando utilizadas ao fundo. Confira abaixo!

Déficit de atenção

O estudo realizado na Nova Zelândia com 1037 crianças, acompanhadas dos 5 aos 15 anos de idade, alertou para o déficit de atenção causado pela exposição excessiva ao aparelho. Segundo o levantamento quanto mais tempo os pequenos passam em frente à TV, maiores são as chances de desenvolverem o transtorno.

A pesquisa acompanhou as crianças e percebeu o transtorno naquelas que viam TV mais de duas horas por dia. O problema ainda persistiu durante a adolescência das crianças, algo alarmante para a maioria das famílias.

Aquelas crianças que passavam muito tempo assistindo televisão demonstraram ter os maiores problemas de déficit de atenção, dificuldade no aprendizado e outros problemas afins.

Dificuldade na concentração

Os participantes do estudo ainda responderam ter muitas dificuldades de concentração. A maioria deles interrompia uma tarefa pela metade, ou tinha dificuldades em fazer deveres em locais com movimento ou barulho.

Os entrevistados também informaram que custava se concentrar em um diálogo, quando alguém falava com eles no dia a dia. Um exemplo claro de distúrbio de concentração nos adolescentes, alvos da pesquisa.

Os estímulos mutáveis causados pela TV, através das imagens saltitantes na tela, também foram alvo do estudo. De acordo com os cientistas essa mutação acelerada de conteúdo frente aos olhos pode causar dificuldade de concentração em atividades mais paradas, como em uma explicação dentro da sala de aula, por exemplo.

Os pesquisadores então concluíram que a TV prejudica os níveis de concentração, o desenvolvimento das crianças e pode trazer prejuízos ao aprendizado.

Sedentarismo

Além dos perigosos a saúde mental e cognitiva das crianças, a exposição excessiva a equipamentos eletrônicos em geral contribui com o sedentarismo. Um dos maiores vilões em relação à obesidade infantil no Brasil e no Mundo.

Os pequenos que passam muito tempo em frente à TV têm suas atividades físicas diminuídas e trocam, na maioria das vezes, brincadeiras mais saudáveis pela observação passiva do equipamento.

A falta de exercício físico, aliada a má alimentação, contribui para os quadros de obesidade infantil e facilita o aparecimento de doenças oportunistas. Entre as patologias mais graves estão a diabetes, os problemas cardíacos e a pressão alta.

Desenvolvimento tardio

Já no estudo dos EUA os pesquisadores afirmaram que televisão ligada ao fundo pode causar prejuízos à comunicação infantil. Segundo especialistas, essa exposição não estimula o diálogo como acontece na leitura de um livro, por exemplo.

Por causa disso, a criança tem dificuldade em formar seu vocabulário e aprender a falar. Uma situação que acaba fazendo o pequeno desenvolver essa habilidade mais tarde, se comparado a crianças que assistem menos TV.

O diálogo dentro de casa é uma das coisas mais importantes para desenvolver a fala dos pequenos. Mesmo que as palavras estejam presentes no dia a dia através da TV, a sua eficácia nesse sentido é muito menor.

Por isso, é recomendado que os pais conversem com a criança desde cedo e, também, leiam histórias antes de dormir ou durante o dia. Esse aprendizado lúdico é o mais eficaz para que a criança tenha um desenvolvimento cognitivo e emocional mais rápido e certeiro.

Comportamentos equivocados

Dependendo da programação a que a criança está exposta na TV o comportamento do pequeno também pode ser alterado. Portanto, além de verificar a quantidade de exposição é preciso monitorar os programas de TV também.

É consenso que as crianças imitam tudo o que aprendem nessa fase, o que pode ser um perigo em frente a TV.

Por conta disto comportamentos agressivos, desvios sexuais, baixa autoestima, desempenho escolar ruim e outros sinais precisam ser monitorados.

A exposição à TV sem supervisão pode levar as crianças a absorverem conteúdos impróprios. Como elas ainda não tem o senso de certo e errado bem definido, podem acabar repetindo coisas que não deveriam no convívio com a família, escola ou amigos.

Sendo assim, é importante ficar atento ao uso da TV pelas crianças e os conteúdos que elas têm acesso nesse canal de comunicação, e também em outros dispositivos digitais (celulares, tabletes, computadores, etc.).

Quantas horas uma criança deve ver TV?
Televisão ligada ao fundo pode prejudicar o desenvolvimento das crianças, apontam especialistas!

Depois de acompanhar os riscos iminentes da exposição excessiva a TV, a próxima pergunta é: “Quanto tempo uma criança deve ver TV?”.

O consenso nos estudos referidos acima é que quanto menor esse período, melhor. Mesmo que a criança consuma conteúdos ligados à educação, é importante limitar a utilização dos equipamentos eletrônicos.

Os levantamentos também revelaram que abaixo de duas horas, a exposição não parece oferecer muitos riscos ao desenvolvimento das crianças. Desta forma, o ideal é que os pequenos não ultrapassem esse período frente ao equipamento.

Outro dado importante de mencionar é que após três horas frente à televisão, os riscos aumentem em 44% por hora de exposição. Mais um motivo para ser rígido e limitar o uso desse equipamento para seus filhos.

Você concorda com esse estudo? Seus filhos veem muita TV no dia a dia? Você tem percebido alguns desses sinais na vida de suas crianças? Compartilhe suas opiniões e experiências abaixo!

#useorganico

Comentários

Não tóxico

Não testado
em animais

Livre de
parabenos

Vegano

Gluten-Free