Bem Estar Saúde   |   13/10/2021   |   33 visualizações

Aqui na Use, nosso maior propósito é te ajudar a fazer escolhas mais saudáveis e sustentáveis. Embora a gente fale muito de cosméticos, maquiagens e produtos para os cuidados pessoais, o que comemos tem um papel fundamental na forma como nos sentimos e na nossa saúde.

Se alimentar de forma saudável e equilibrada é essencial para garantir qualidade de vida. Isso porque, além de fornecer energia e bem-estar geral, é possível prevenir e combater doenças, manter o peso corporal saudável e ter um bom desenvolvimento físico.

Um cardápio balanceado ajuda o sistema imunológico; melhora o humor e a memória; reduz o cansaço e o estresse; aumenta a qualidade do sono; previne o envelhecimento precoce da pele; melhora o sistema digestivo; e fornece disposição e mais energia para as atividades diárias. Só vantagens, não é mesmo?

Guia Alimentar para a população brasileira

O Guia Alimentar para a População Brasileira é um documento oficial, que apresenta informações e recomendações sobre uma alimentação adequada e saudável. Foi publicado em 2014 e constitui-se como um instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional no SUS (Sistema Único de Saúde) e em outros setores. Contudo, não é voltado apenas para agentes de saúde, mas sim para a população brasileira no todo. 

A partir das pesquisas que embasam este documento, divide-se os alimentos em quatro categorias, de acordo com o tipo de processamento empregado na sua produção:

Alimentos in natura ou minimamente processados

São aqueles obtidos diretamente das plantas ou de animais (como folhas ou frutas ou ovos e leite) e adquiridos para consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza. Alimentos minimamente processados são alimentos in natura que, antes de sua aquisição, foram submetidos a alterações mínimas (por exemplo, os grãos e farinhas, carnes resfriadas e leite pasteurizado).

Óleos, gorduras, sal e açúcar

Produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados pelas pessoas para temperar  e cozinhar alimentos.

Alimentos processados

Produtos fabricados essencialmente com a adição de sal ou açúcar a um alimento in natura ou minimamente processado. Por exemplo: legumes em conserva, frutas em calda, pães e queijos.

Alimentos ultraprocessados

Sua fabricação envolve diversas etapas e técnicas de processamento e vários ingredientes, muitos deles de uso exclusivamente industrial. São alimentos ultraprocessados: refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”, entre muitos outros.

Os 10 passos para uma alimentação adequada e saudável

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação;
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias; 
  3. Limitar o consumo de alimentos processados; 
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados; 
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia; 
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados; 
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias; 
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece; 
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora; 
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais. 

Comentários