Aromaterapia   |   13/01/2021   |   195 visualizações

Com o sol de verão dando as caras por aqui, é preciso tomar cuidado com o uso dos óleos essenciais cítricos, como por exemplo, a laranja doce, laranja amarga, limão, limão siciliano, bergamota, grapefruit, entre outros.

Eles possuem um aroma muito gostoso e diversas propriedades terapêuticas, entre as quais antisséptica e antiviral, mas vocês sabiam que não podemos nos expor ao sol após usá-los?

A exposição solar após o uso de óleos essenciais cítricos pode causar queimaduras à pele.

Por que evitar a exposição ao sol após o uso de óleos essenciais cítricos?

As furanocumarinas, componente químico presente nesses óleos, em contato com a luz solar tornam-se tóxicas, podendo causar queimaduras na pele. Quem nunca manchou a pele com limão? O caso é semelhante.

Esse componente é encontrado nos óleos essenciais obtidos através da prensagem a frio.

Algumas marcas disponibilizam óleos essenciais livres de furanocumarinas (sigla LFC no rótulo, que reduz “Livre de FuranoCumarinas), que são obtidos através da destilação.

Eles podem ser empregados sem qualquer risco sobre a pele. Lembrando que, todo óleo essencial deve ser diluído numa porcentagem segura antes de ser aplicado no corpo.

Pessoalmente, eu acho que os óleos cítricos combinam muito com essa época do ano. Eles são alegres, solares e trazem essa energia vital – super a ver com os dias de verão.

Agora a gente já sabe como usá-los em risco de queimaduras na pele!

Curtiu esse conteúdo? Deixe seu comentário!

Comentários