Aromaterapia Bem Estar   |   19/10/2021   |   44 visualizações

Muita gente chama os óleos essenciais de “cheirinho”, talvez por associá-los aos difusores de ambiente de vareta, que são bastante difundidos no Brasil. Entretanto, a maioria desses difusores não é feito com óleos essenciais e sim com essência sintética. 

É muito importante não confundir os dois. As últimas são imitações feitas em laboratório de alguns aromas naturais. Não possuem a complexidade de componentes químicos presentes nos óleos essenciais e por isso não têm ação terapêutica.

Já os óleos essenciais são naturais, extraídos de algumas plantas que os produzem. Eles possuem um valor mais elevado se comparado à essência sintética, uma vez que é necessária muita matéria vegetal para sua extração, porém usamos gotinha por gotinha, em porcentagens muito pequenas. Ou seja, quando bem usados, eles duram bastante. 

Os óleos essenciais são compostos por centenas de moléculas químicas, que garantem as suas propriedades terapêuticas. Essa combinação é tão perfeita que é impossível de reproduzir em laboratório. Só a natureza para oferecer algo tão especial.

Os óleos essenciais são formados por centenas de moléculas químicas que garantem suas propriedades terapêuticas.

Como saber se estou comprando um óleo essencial?

Para ter certeza que está comprando um óleo essencial com toda sua gama de propriedades, fique atenta ao rótulo, que deve conter:  nome popular da planta, nome científico da planta, forma de extração do óleo essencial, quimiotipo ou variedade da planta e a origem. 

Pelo menos as duas primeiras informações são imprescindíveis. 

Aqui na Use Orgânico você encontra diversas marcas de óleos essenciais, que são cuidadosamente escolhidas através da nossa curadoria. Não trabalhamos com essência sintética! Pode ficar tranquila!

Comentários