Saúde   |   16/05/2018   |   214 visualizações

O sangue de dragão é uma resina vermelha vindo do tronco de uma árvore e por íncrivel que pareça é
conhecida desde a antiguidade por suas diversas propriedades medicinais!

O sangue de dragão vem do fruto de várias palmeiras dos gêneros Daemonorops , Dracaena , Croton e Pterocarpus .

Uma resina natural – também conhecida como sangue de dragão semelhante a uma seiva – uma substância orgânica formada pelas secreções de plantas.

Para uma planta, as resinas desempenham uma função protetora de defesa contra patógenos e pragas.

Os dragoeiros, especialmente o dragoeiro Dracaena draco das Ilhas Canárias, podem ter mais de 18 metros de altura e mais de 6 metros de largura. Outras variedades de dragoeiros que contêm sangue de dragão incluem Croton draco, do México, e Croton lechileri, do Brasil, Peru e Colômbia

O explorador e naturalista espanhol, P. Bernabe Cobo, registrou o uso de sangre de  dragão depois de ver tribos indígenas em todo o México, Peru e Equador, usando a seiva em 1600.

Até hoje, a resina do Croton lechleri (um tipo de dragoeiro ) são usados ​​na medicina tradicional na América do Sul.

. Os principais componentes químicos do sangue do dragão são flavonóides, fenóis, esteróides e terpenóides.

De acordo com a Farmacopéia da República Popular da China, o sangue de dragão comercialmente disponível contém resina de quatro espécies diferentes de árvores e tem sido usado no país para tratar a colite crônica e aumentar a circulação sanguínea para melhorar a estagnação do sangue, ferimentos graves e dor.

Veja abaixo alguns usos  para a resina de Sangue de dragão!

1.  Cura de feridas

Quando se trata de sangue de dragão para a saúde da pele, algumas pesquisas mostraram que ele pode acelerar o quão rápido as feridas curam!

Um ensaio clínico randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, publicado no Journal of Traditional and Complementary Medicine  analisou os efeitos do sangue de dragão nas feridas de 60 pacientes humanos entre 14 e 65 anos de idade.

Os membros de um grupo usaram sangue de dragão em suas feridas, enquanto o outro grupo usou um creme placebo.

Os pesquisadores verificaram as feridas dos participantes no 3º, 5º, 7º, 10º, 14º e 20º dia do teste para avaliar o processo de cicatrização e medir a área da superfície da ferida.

O creme de sangue do dragão melhorou significativamente a cicatrização, que foi notada no terceiro dia e pode ser devida a um encurtamento do processo de inflamação.

Os pesquisadores acreditam que a presença de compostos fenólicos, como proantocianidinas e catequinas, bem como o taspoína alcalóide, são os principais componentes que tornam a resina capaz de melhorar a cicatrização de feridas.

 

2. Potencial Antibacteriano.

Um estudo interessante realizado há vários anos examinou a possibilidade do sangue de dragão ser um conservante de alimentos mais seguro e natural.

Como você provavelmente sabe, há muitos aditivos questionáveis ​​usados ​​para conservar os produtos alimentícios por mais tempo hoje em dia.

Este estudo in vitro publicado na revista BMC Complementary e Alternative Medicine analisou as atividades antioxidantes e antimicrobianas da resina de sangue de dragão obtida da árvore Dracaena cinnabari .

Os pesquisadores testaram três extratos de sangue de dragão para testar seu  potencial de matar uma variedade de patógenos de origem alimentar, como E. coli e Salmonella enteritidis .

O estudo descobriu que o extrato “exibe boa atividade inibitória contra patógenos bacterianos e fúngicos”.


3. Propriedades Anti-diarreicas

Vários estudos analisaram a capacidade do sangue de dragão de melhorar uma preocupação gastrointestinal muito comum: diarréia .

Um estudo em animais publicado na revista Phytotherapy Research observou que a resina vermelha foi capaz de melhorar a diarréia (induzida pelo óleo de mamona) em animais.

Inibiu significativamente o trânsito do intestino delgado e parece ter potencial para controlar alguns casos de diarreia.

Um produto com principio ativo de Sangue de dragão,  chamado de  SP-303 não está atualmente disponível, mas foi estudado para o tratamento de diarreia em doses de 125 a 500 miligramas por dia e os resultados são interessantes.

O estudo duplo-cego, controlado por placebo, publicado no American Journal of Gastroenterology teve 184 sujeitos dos Estados Unidos que adquiriram diarréia na Jamaica ou no México.

Estes indivíduos foram tratados com 125, 250 ou 500 miligramas de SP-303 ou um placebo correspondente quatro vezes ao dia durante dois dias.

Os sujeitos do estudo foram obrigados a acompanhar seus sintomas diariamente e foram vistos a cada dia durante três dias.

No geral, o estudo descobriu que o SP-303 foi eficaz em encurtar a duração da diarréia dos viajantes em 21%.

4. possível remédio para úlcera

Pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências isolaram 22 compostos de Dracaena cochinchinensis, uma das várias fontes da resina vermelha conhecida como sangue de dragão.

Dos 22, eles descobriram que dois foram particularmente eficazes em matar Helicobacter pylori (também conhecido como H. pylori ) –  a bactéria conhecida por causar úlceras pépticas.

Um dos pesquisadores, Dr. Zhao, aponta que o sangue do dragão precisaria ser tomado em concentrações muito mais altas do que os antibióticos comumente prescritos por médicos convencionais para tratar úlceras pépticas.

5. Cuidados com a pele anti-envelhecimento

Muitas linhas de beleza (naturais e convencionais) já incluem o sangue de dragão em suas formulações para seus efeitos anti-envelhecimento , anti-inflamatórios, protetores e rejuvenescedores.

O sangue de Dragão é uma escolha popular para a pele que foi comprometida pela exposição ao sol, esfoliação em excesso ou, em geral, pele que precisa ter a inflamação acalmada.

A resina de sangue de dragão é bem espessa, não se dilui em outro óleo vegetal somente em gel, creme neutro ou álcool.

– Para feridas em 10g de creme neutro , use 3 gotas de Sangue de dragão
– Para rejunevescimento facial, utilize 1 gota em 10g de creme neutro

#useorganico

Comentários

Bitnami